Quinta-Feira, 26 de Março de 2020, 18h:27

Tamanho do texto A - A+

Secretário diz que previsão divulgada por MPs só gera pânico

Por: WELLYNGTON SOUZA

O secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, desconsiderou o estudo divulgado pelos Ministérios Públicos (Estadual, Federal e do Trabalho), que auxiliou no pedido de suspensão do decreto baixado pelo governador Mauro Mendes (DEM), nesta quinta-feira (26), qual flexibiliza medidas impostas ao comércio. No documento, os órgãos citam  a ocorrência de mais de oito mil mortes no Estado caso não sejam adotadas medidas estritas de isolamento.

Para Figueiredo, a gestão não pode se pautar por 'fakes' e projeções estratosféricas. 

HNT/HiperNotícias

Gilberto Figueiredo

 

“Fazer publicação desse tipo de projeção não nos ajuda, só gera pânico. Eu posso assegurar: nós não teremos esse número de mortes no estado de Mato Grosso. Vai ser muito inferior a isso e nós não vamos nos pautar pelos diversos 'fakes' [fake news] e projeções que são divulgadas a todo momento”, declarou nesta quinta-feira (26), ao divulgar um novo boletim epidemiológico.

"Tem muitas previsões estratosféricas como se iríamos ter aqui em Mato Grosso um número de óbitos maior que a própria Itália”, completou. 

Para o secretário, o governo precisa dosar as medidas dentro do prazo e da hora correta. “Nós temos que fazer uma opção e estamos fazendo por aquela por convicção que é a melhor nesse momento. Nós precisamos dosar as medidas dentro do prazo e da hora correta. Se for necessário um dia ter quarentena total nós faremos isso, mas ainda não há necessidade da fazer isso”, ressaltou.

Conforme Figueiredo a situação poderá ficar ainda pior com todos os setores da iniciativa privada e pública sem funcionar. “Para tudo. Vai todo mundo para casa. Eu quero saber como é que fica daqui um mês quando os servidores não receberem salário, quando os trabalhadores da iniciativa privada não receberem salário, aí o caos está estabelecido”.

Medida segue normas da OMS

Por meio de nota, o governo informou que as medidas consolidadas em decreto publicado nesta quinta-feira (26), estão alinhadas com as normas da Organização Mundial de Saúde (OMS), Ministério da Saúde e com a nota técnica expedida pela Sociedade Brasileira de Infectologistas (SBI). 

“O Governo esclarece que, ao contrário do que foi publicado no site do Ministério Público Estadual, não houve qualquer “relaxamento” das medidas restritivas de isolamento, tanto que todas as ações para evitar o contato social foram mantidas”, destaca.

O estado informou ainda que as atividades econômicas só estão permitidas para as empresas que respeitarem as normas sanitárias e garantirem a segurança e saúde dos trabalhadores contra o covid-19.

Confira nota na íntegra:

“O Governo do Estado reforça que as medidas consolidadas em decreto publicado nesta quinta-feira (26.03) estão alinhadas com as normas da Organização Mundial de Saúde (OMS), Ministério da Saúde e com a nota técnica expedida pela Sociedade Brasileira de Infectologistas (SBI).  

O Governo esclarece que, ao contrário do que foi publicado no site do Ministério Público Estadual, não houve qualquer “relaxamento” das medidas restritivas de isolamento, tanto que todas as ações para evitar o contato social foram mantidas.

Também não procede a informação de que houve “liberação” do comércio, já que em nenhum momento o Governo de Mato Grosso havia restringido as atividades econômicas no Estado, a não ser academias, bares, lanchonetes, restaurantes, shows, eventos e reuniões de toda natureza.

Importante ponderar que as atividades econômicas só estão permitidas para as empresas que respeitarem as normas sanitárias e garantirem a segurança e saúde dos trabalhadores contra o covid-19”.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei







Mais Comentadas