Quinta-Feira, 02 de Abril de 2020, 15h:15

Tamanho do texto A - A+

Mendes cita queda de até 40% na arrecadação e não descarta atrasos salariais

Por: KHAYO RIBEIRO

O governador Mauro Mendes (DEM) ao apresentar o panorama de Mato Grosso em decorrência da pandemia da Covid-19, o coronavírus, citou a estimativa econômica para os próximos meses. Neste cenário, cálculos do governo apontam para uma queda na arrecadação de até 40% no mês de maio. O gestor também comentou a respeito da possiblidade de atrasos salariais e não descartou que o repasse aos servidores públicos possa ser prejudicado.

Christiano Antonucci

Mauro Mendes

Governador Mauro Mendes (DEM)

Em entrevista realizada nesta quinta-feira (02), Mendes disse que a equipe econômica do governo já calculou queda de 30% na arrecadação para o mês de abril e, segundo dados, o panorama será ainda mais negativo para maio – podendo registrar até 40% de queda na economia.

Ao apresentar o possível cenário de crise econômica, o governador não descartou que atrasos salariais podem atingir diversos setores, inclusive o funcionalismo público. “Não tem outro jeito. Se não entra dinheiro, como eu pago a conta? Como eu pago a conta do salário? Como é que eu pago a conta do remédio? Como eu pago a conta para as ambulâncias circularem, para as UTI’s funcionarem e dos profissionais que vamos precisar contratar? Então, assim, é uma situação muito difícil, o governo também vai ter muita dificuldade”, apontou Mendes.

O tom alarmante diante da crise econômica e consequente atrasos salariais, contudo, não alcançou o pagamento do duodécimo aos poderes. Quando questionado sobre os repasses, o chefe do Executivo estadual disse que ainda não dialogou sobre cortes com os gestores à frente do Legislativo e do Judiciário por não ter em mãos números que componham o real cenário da situação orçamentária.

Mendes citou o trabalho desenvolvido ao longo do último ano, sobretudo no equilíbrio das contas do Estado, e disse que os direcionamentos do governo são realizados de forma planejada. “Estamos nos esforçando muito para minimizar isso, estamos trabalhando com muita seriedade para que esse impacto seja o menor possível para os servidores e para a sociedade”, disse o gestor.

Auxílio aos municípios

Ao comentar sobre os auxílios que serão prestados aos municípios, o governador frisou a liberação de um montante de R$ 8,5 milhões de reais que serão distribuídos às 141 cidades de Mato Grosso. Além disso, Mendes citou o repasse de 50 mil cestas básicas à população em situação de vulnerabilidade social.

A isenção de impostos também é outra frente de atuação do governo como forma de auxílio. O governador estendeu o prazo de pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) em 60 dias e do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para micro e pequenas empresas pelo período de até seis meses.

“Nós estamos construindo um programa de financiamento a determinados setores que vão receber recursos para pagarem com seis meses de carência, pagarem em 24 meses. Para ajudar nessa transposição neste momento de grande dificuldade”, disse Mendes ao citar parceria com o Legislativo estadual.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei