Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 14h:25

Tamanho do texto A - A+

Jayme revela recuo de Júlio Campos e declara apoio a Leitão ao Senado

Por: WELLYNGTON SOUZA

O senador por Mato Grosso Jayme Campos (DEM) confirmou nesta terça-feira (4) o recuo da pré-candidatura do ex-governador e também democrata, Júlio Campos, à eleição suplementar ao Senado e declarou apoio ao ex-deputado federal Nilson Leitão (PSDB). A eleição será em 15 de novembro junto com primeiro turno das eleições municipais.

WhatsApp Image 2020-03-17 at 08.43.52.jpeg

 

“O ex-senador Júlio Campos entendeu por bem deixar de disputar as eleições que vai acontecer no dia 15 de novembro. Após várias reuniões que tivemos com Nilson, entendemos juntamente com deputado Dilmar Dal Bosco e definimos apoiar Nilson para ser nosso candidato.  Vamos levar essa questão para o partido, mas independentemente de qualquer coisa, nós já tomamos essa decisão”, disse em entrevista ao Jornal do Meio Dia.

Jayme destacou que Leitão cumpre com vários requisitos para representar Mato Grosso em Brasília. “Achamos que Nilson é o melhor candidato nesse momento, pois teve um ótimo mandato sendo deputado federal, estadual e prefeito e tem todas as experiências suficientes para representar o povo mato-grossense, em especial do Nortão, no Senado”, ressalta.

Questionado sobre uma possível racha no democratas, visto que o governador Mauro Mendes (DEM) pode apoiar pré-candidatura do atual senador interino Carlos Fávaro (PSD), Jayme descartou qualquer atrito na sigla. Ele destacou que a decisão de apoio a Leitão ainda não passou pelo chefe do Executivo, que está internado em São Paulo, tratando de uma pneumonia.

"Nós não temos nenhum vínculo com senador Fávaro, nós disputamos uma eleição juntos dentro de uma coligação. E isso não me satisfez. Por isso, eu acho que o Nilson é o melhor candidato. Não significa que estamos em confronto com o governador. Ele só não foi comunicado de antemão, porque se encontra internado em São Paulo", explicou.

O senador ainda garantiu que o presidente da Assembleia Legislativa (ALMT) Eduardo Botelho (DEM) também pode declarar apoio ao tucano, caso o vice-governador Otaviano Pivetta (PDT) abra mão da candidatura. "Isso é uma decisão pessoal minha, do Júlio e do deputado Dilmar. E o deputado Botelho já disse que caso Pivetta recue ele também apoiará Nilson Leitão. O presidente do partido Fábio Garcia convocará uma reunião ainda nos próximos dias para levar o nome do ex-deputado ao grupo", finaliza.

Eleição suspensa

A eleição suplementar, marcada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) para ocorrer no dia 26 de abril, foi determinada após a cassação da então senadora Selma Arruda (Podemos). Em dezembro do ano passado, ela foi cassada por prática de caixa dois e abuso de poder econômico.

LEIA MAIS: STF concede liminar ao Governo e Carlos Fávaro pode assumir vaga de senador

Em março, a ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Rosa Weber acatou um pedido do governador Mauro Mendes (DEM) e suspendeu o pleito levando em consideração à pandemia da Covid-19.

TSE define data

Em decisão assinada em julho, o ministro e presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, deferiu pedido do TRE para que a eleição suplementar fosse realizada junto às eleições municipais, em 15 de novembro.

No pedido, o TRE destaca que a medida implicará drástica redução de gastos e representa menos risco de contágio do coronavírus, uma vez que os eleitores só comparecerão uma vez às urnas.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei