Quarta-Feira, 14 de Janeiro de 2015, 14h:41

Tamanho do texto A - A+

Fora da lista de prioridades, VLT não deve andar antes de 2018

Empreiteiras que fazem parte do Consórcio VLT pararam o serviço e alegam que precisam receber pagamentos atrasados, de cerca de R$ 250 milhões

Por: GABRIEL SOARES


As obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que hoje se encontram completamente paralisadas, podem não ser concluídas antes do final de 2018, na visão mais otimista possível. A declaração foi dada pelo secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, durante entrevista, nesta terça-feira (13).

Edson Rodrigues/Secopa

Apesar de cerca de 75% do valor do VLT já ter sido pago, as empreiteiras que fazem parte do Consórcio VLT pararam o serviço e alegam que precisam receber pagamentos atrasados, de cerca de R$ 250 milhões, para poder continuar a construção.

Outro ponto que emperra o andamento das obras é a desapropriação de imóveis que estão no "caminho do VLT". Mais de 60% das desapropriações ainda não aconteceram. Na maioria dos casos, os proprietários não concordam com os valores oferecidos como compensação.

Durante reunião com representantes do Consórcio, que ocorreu durante a fase de transição, os empreiteiros teriam afirmado que, mesmo se a situação fosse resolvida até março de 2015 – ou seja, se todas as verbas atrasadas fossem pagas e as desapropriações feitas – o VLT seria entregue, talvez, no final de 2018.

"Perguntei: Vamos supor que em março de 2015, por uma obra divina, tudo se resolvesse e as obras fossem retomadas. Quando ficaria pronto o VLT? Me responderam: Talvez no final de 2018", disse Paulo Taques.

Segundo o secretário, enquanto a obra não anda, o Governo do Estado ainda é obrigado a pagar uma taxa mensal de manutenção à fabricante dos vagões, pois a entrega oficial ainda não foi realizada.

Marcos Lopes/HiperNotícias

“Já estão todos os vagões aí, e olha só, mais um desperdício de dinheiro público: A empresa que vendeu os vagões precisa entregá-los. Como ela não tem condições de entregar os vagões, ela está cobrando, por mês, para cuidar dos vagões. Então tem uma conta que está correndo todo mês. Ela cobra para fazer a manutenção desses vagões”, disse o chefe da Casa Civil.

A possibilidade de mais atraso na conclusão do novo modal de transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande é evidente, isso porque, segundo o secretário-chefe da Casa Civil, a prioridade do Governo Taques não é "colocar um trem para andar', mas solucionar os problemas de áreas essenciais, como Saúde, Educação e Segurança.

"A prioridade não é fazer o VLT andar, é tirar quem está esparramado nos corredores dos hospitais. A prioridade é arrumar estradas e cuidar da segurança, que estão matando nossas famílias", explicou o secretário.

VLT
As obras do VLT tiveram início em junho de 2012, com previsão de término para março de 2014, antes da Copa do Mundo. O trem deveria servir como 'vitrine' de um Mato Grosso moderno, mas acabou sendo apenas transtorno para os cuiabanos e vexame para os turistas.

Após muitas alterações de datas, o ex-governador Silval Barbosa prometeu encerrar o mandato com o trecho entre o Aeroporto, em Várzea Grande e o Porto, em Cuiabá, concluído, o que também não aconteceu.

Conforme o projeto do VLT, serão aproximadamente 22,2 km de extensão, ligando a região do CPA ao Aeroporto, e do Coxipó da Ponte ao centro de Cuiabá. Com o valor de R$ 1,47 bilhão, a implantação do VLT custa cerca de R$ 66 milhões por quilômetro.

O modal será implantado no canteiro central das avenidas Historiador Rubens de Mendonça, FEB, 15 de Novembro, Tenente Coronel Duarte (Prainha), Coronel Escolástico e Fernando Corrêa da Costa.

Até junho de 2011, a ideia era construir um sistema de BRT (corredores exclusivos de ônibus), em Cuiabá, a um custo previsto inferior a R$ 500 milhões. As autoridades estaduais, porém, tomaram uma decisão baseada em critérios políticos, e não técnicos, para alterar o planejado, e decidiram pelo VLT.
Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei



7 Comentários

tito lampreia - 15/01/2015

Dr.Paulo a população estará menos disposta para ajudar o governo no futuro, caso essas obras continuarem ai ao relento!!! Aproveite o tempo de chuvas para programar e retomar as obras!!! Siga os bons exemplos, divida a obra em vairas frentes de trabalho(3 ou 4 construtoras), aproveite o apoio popular que o governo tem nesse momento!!!

Carlos Nunes - 15/01/2015

Não sei não. É só entrar no Google, colocar VLT DE CAMPINAS...lá o VLT funcionou por 5 anos e desistiram do negócio - se o negócio fosse tão bom, Campinas HOJE teria um montão de VLT's. Quantos BILHÕES DE REAIS vamos ter que gastar para chegar a conclusão de Campinas e desistir do negócio? Só na propaganda marketeira o negócio é uma beleza, uma maravilha. E esse negócio de que os recursos são do governo federal, sim, mas emprestados do BNDES, da Caixa, para nós pagarmos depois...brevemente. O governo federal só liberou a linha de crédito para o Estado. Gostaria de saber Quanto vai custar SÓ O SEGURO DO VLT? Quantos Milhões de Reais por ano? Vamos é ficar num Monopólio lascado...nas mãos dos espanhóis que tem a tecnologia, eternamente. Qual dia Monopólio foi bom para alguém, em algum lugar? Pelo contrário, os mais inteligentes estão fugindo de qualquer monopólio - senão vamos ter que aguentar o negócio...na marra, sem choro nem vela.

NEIDE MARIA - 15/01/2015

As obras podem não continuarem. Porém os responsáveis por esse projeto fantoche e bilionário devem ser presos!

Miltom Santos - 15/01/2015

Enquanto isso a população e os comerciantes continuam sofrendo.

benedito costa - 14/01/2015

E, aí!a cidade vai ficar até lá do jeito que tá? a culpa é do silval e riva, que bateram duro até viabilizar o VLT.

tito lampreia - 14/01/2015

Conversa mole Dr., Faça sua parte!!! Os recursos são do Governo Federal!!! Mostre para que vcs vieram!!!Faça as despropriações andaram!!! Mostre que é diferente, foi por isso que MT optou!!!

Aquino - 14/01/2015

DEVERIAM ACABAR LOGO COM ESSA PORCARIA DE VLT. ESTAVA NA CARA QUE ISSO NUNCA IA SAIR. ESSE PEDRO TAQUES TAMBÉM ESTÁ SÓ EM CONVERSA.JÁ ENTROU GASTANDO RS 600.000,00 COM CORRIDA DE REIS. ISSO SIM NÃO ERA PRIORIDADE, AINDA MAIS QUE A TV CONSEGUIU MUITOS PATROCINADORES.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA