Quinta-Feira, 17 de Setembro de 2020, 21h:04

Tamanho do texto A - A+

Justiça proíbe advogado de ficar a menos de 500 metros de blogueira

Por: RAYNNA NICOLAS

O juiz Jamilson Haddad Campos, da Vara Especializada de Violência Doméstica de Cuiabá, concedeu medida protetiva à Digital Influencer Mariana Vidotto, uma das vítimas que acusam o advogado Cleverson Contó de violência doméstica. Com a decisão, Cleverson deverá manter, pelo menos, 500 metros de distância da blogueira.

Cleverson Campos Contó.jpg

 Cleverson Contó.

A decisão, que foi assinada na última quarta-feira (16), tem validade pelos próximos seis meses. No documento, o magistrado ainda alertou que, no caso de descumprimento da decisão, Cleverson poderá ter a prisão preventiva decretada.

O advogado foi acusado de cinco crimes contra a ex-namorada: Ameaça, injúria, estupro, denunciação caluniosa e difamação. 

LEIA MAIS: Influencer digital denuncia agressões cometidas por advogado; homem também teria agredido outras mulheres

A medida determinada pelo juiz se estende às testemunhas e familiares de Mariana Vidotto. Cleverson também não poderá manter contato com a blogueira, testemunhas e familiares por qualquer que seja o meio de comunicação.

"Verifico que os fatos narrados pela vítima em suas declarações/boletim de ocorrência demonstram a situação de risco em que a mesma se encontra, impondo imediata intervenção estatal como meio de salvaguardá-la, inclusive de novas investidas do suposto agressor, justificando pois, a urgência na concessão das medidas protetivas", escreveu Jamilson. 

O caso

As agressões que teriam sido praticadas por Cleverson Contó ganharam as manchetes após Mariana Vidotto e um grupo de mulheres virem a público narrar a violência sofrida durante os relacionamentos que mantiveram com o advogado. 

Em sua conta no Instagram, Mariana contou que chegou a perder cerca de nove quilos durante o relacionamento e que, no início do ano, Cleverson entrou com um processo contra ela com uma multa de R$ 20 mil caso ela dissesse algo sobre ele.

"Eu falava sem citar nomes por saber que se trata de um sociopata bem articulado. Mas a gente começa a viver tentando se curar de uma destruição. Sofri todos os tipos de agressões e lidei com a ansiedade", destacou. 

LEIA MAIS: Médica relata que advogado tentou estuprá-la com pen-drive; homem teria agredido outras mulheres

Outra vítima que ganhou destaque no caso foi a médica Laryssa Moraes que chegou a relatar, também no Instagram, que as agressões ela teria sofrido foram tão brutais que resultaram em um nariz quebrado e em retinas deslocadas. Cleverson também teria tentado estuprá-la com um pen-drive. 

A defesa

A defesa do advogado Cleverson Campos Contó, representada por Eduardo Mahon, alegou que Cleverson estaria sendo alvo de extorsão por parte das vítimas.

Mahon argumentou que não existem exames ou prontuários médicos apontando as agressões que foram relatadas pela médica Laryssa Moraes e a influencer digital Mariana Vidotto. Segundo a defesa, Mariana teria exigido R$ 500 mil para retirar as acusações contra Contó. 

LEIA MAIS: Defesa de advogado alega falta de provas e extorsão de R$ 500 mil

O advogado defende ainda que as intenções das mulheres que relataram as agressões é driblar decisões judiciais que as proíbem de fazerem qualquer menção ao nome de Cleverson.

 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei