Sexta-Feira, 29 de Novembro de 2019, 11h:00

Tamanho do texto A - A+

Justiça concede HC para suspeito de matar empresário após discussão por farol alto

Por: LUIS VINICIUS

A Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJMT) concedeu um salvo-conduto (habeas corpus preventivo) para Maruan Fernandes Haidar Ahmed, suspeito de ter matado o empresário Fábio Batista da Silva, 41 anos, durante uma discussão por causa de um farol alto. O crime ocorreu, no dia 18 de novembro de 2018, em uma conveniência na cidade de Rondonópolis (215 km ao Sul de Cuiabá).

fabio batista da silva.jpg

 Fábio Batista foi morto durante uma discussão

Fábio, segundo investigações da Polícia Civil, foi morto com um tiro após pedir para Maruan desligar o farol. Passado pouco mais de um ano do crime, o suspeito nem chegou a ser preso, entretanto o pedido de liberdade provisória, já foi concedido pela Justiça nesta quinta-feira (27). 

Na época do crime, uma câmera de segurança do estabelecimento mostrou o momento em que Maruan aponta o revólver na direção de Fábio e atira. No entanto, a defesa do suspeito alegou que “não há provas de que Maruan seja o responsável pelos delitos de homicídio e porte ilegal de arma de fogo”. 

Os advogados afirmam ainda que as testemunhas e imagens do crime não esclarecem de forma segura que Maruan seja mesmo o autor do homicídio.

“Ainda assim, o resultado da perícia papiloscópica apontou que as digitais encontradas nas garrafas de água que estavam no veículo, supostamente conduzido pelo acusado, ora paciente, na ocasião do disparo da arma de fogo, não convergem com as dele. Também não convergem com as digitais dele aquelas encontradas na capa do volante do veículo”, apontaram os advogados.

O crime

O fato aconteceu na madrugada do dia 18 de novembro de 2018, após uma discussão por causa de um farol alto. Nas gravações cedidas pela PM, é possível ver o momento em que o assassino chega à lanchonete em uma caminhonete Amarok direcionando a luz do carro em alguns clientes que estavam no local.

Passados poucos segundos, Fábio levanta da cadeira e bate três vezes no capô da caminhonete e fala algumas coisas para o assassino. Depois de esbravejar, o empresário vira de costas e nesse momento é baleado pelo assassino. Imediatamente, Fábio cai no chão. Ele não resistiu ao ferimento e morreu ainda no local.

Já o assassino fugiu em sua caminhonete. Poucas horas depois do crime, ele abandonou o veículo nas proximidades do Aeroporto Municipal.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1