Terça-Feira, 14 de Janeiro de 2020, 08h:20

Tamanho do texto A - A+

Remarcada reunião com Sindimed; categoria prevê indicativo de greve

Por: WELLYNGTON SOUZA

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) remarcou para esta terça-feira (14), às 17 horas, uma reunião para discutir as condições de trabalho e a falta de insumos da rede municipal de Saúde com o Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (SindimedMT).

Reprodução

1d642d0c3b29b43736455e62abbc0e56.jpg

 

Prevista para última sexta-feira (10), a agenda para discutir queixas dos profissionais da saúde foi reagendada para esta segunda-feira (13), no entanto, devido ao compromisso do prefeito, o chefe do Executivo municipal adiou para terça-feira. Até que se realize, a categoria permanecerá em estado de assembleia geral com a promessa de um indicativo de greve em Cuiabá.

“Essa é a segunda vez que o prefeito remarca a reunião que de sexta, dia 10 passou para segunda dia 13 e agora para terça, dia 14.  Esperamos que realmente amanhã sejamos recebidos. A categoria tem urgência já que entre os assuntos que serão discutidos estão as condições de trabalho e a falta de medicamentos e produtos para dar atendimento à população. Com saúde não se brinca”, disse o diretor de comunicação do Sindimed, Adeildo Lucena.

O Sindimed aguardará o novo prazo agendado e caso haja nova remarcação, a assembleia da categoria já está convocada para quarta-feira (15), já que os médicos votaram na noite do dia (08), estado permanente de assembleia.

Na manhã desta segunda, Emanuel Pinheiro afirmou que nunca houve falta de diálogo com a categoria e que sempre se mostrou aberto para discutir com todos os servidores, no entanto houve uma dificuldade na agenda para adiar a reunião com Sindimed.

“Nunca teve uma dificuldade no diálogo. Pensa em um prefeito pauta aberta a todos os setores organizados. É apenas dificuldade de agenda, nada mais do que isso”, disse durante o evento que instituiu o Alvará de Construção Automático em Cuiabá, na sede do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-MT).

Muitos usuários da rede pública alegam falta de médicos nas Unidades de Pronto Atendimento e nas policlínicas da capital. Pinheiro reconheceu a dificuldade de contratar mais médicos e disse que acionará o Ministério Público Estadual (MPEMT) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) para contratação de mais médicos, principalmente pediatras plantonistas.

“Se eu contrato, eu posso ser processado. Se eu não contrato, eu deixo a conta vulnerável. Eu prefiro ser processado e me defender com princípio de boa-fé do que deixar a população sem médico. Marquei uma audiência no MPE, o TCE para mostrar que estou abrindo cada vez mais unidades e vou abrir mais ao longo desse ano”.

“Inaugurei o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) que é o maior hospital de Mato grosso. Estou reformando e ampliando a saúde bucal em todas as regiões de Cuiabá. Fiz o processo seletivo, mas não é possível atender a demanda diante do ritmo intenso que minha gestão está marchando principalmente na saúde pública”, destacou.

Indicativo de greve

O Sindimed aguardará o novo prazo agendado e caso haja nova remarcação, a assembleia da categoria já está convocada para quarta-feira (15), já que os médicos votaram na noite do dia (08) estado permanente de assembleia. A categoria já sinalizou indicativo de greve caso não haja negociação com a Prefeitura de Cuiabá.

Entre as principais dificuldades da categoria estão a falta de condições de trabalho, pagamento incompleto do décimo terceiro salário, insalubridade e terceirização dos serviços médicos.   

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei







Mais Comentadas