Quinta-Feira, 02 de Julho de 2020, 22h:00

Tamanho do texto A - A+

CDL e Fecomércio convocam empresários para manifestação contra as novas medidas de Cuiabá

Por: RAYNNA NICOLAS

A Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Cuiabá, junto à Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso (Fecomércio-MT), convocou os empresários e colaboradores do setor do comércio a participarem de um ato contra as novas medidas decretadas pelo prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) nesta quinta-feira (02). A entrega do manifesto contrário às decisões de Pinheiro está marcada para acontecer na sexta-feira (03) às 10h em frente ao prédio da Prefeitura de Cuiabá. 

comercio fechado

 

As novas medidas impactam ainda mais no comércio, que já estava restrito por conta da quarentena obrigatória decretada após decisão judicial da 1º Vara de Fazenda Pública de Várzea Grande. Desde a última semana, os estabelecimentos considerados não essenciais estão proíbidos de funcionar na região metropolitana. Agora, pelas novas regras da Capital, até as atividades consideradas essenciais sofrerão restrições, como os mercados, que só poderão ser acessadados mediante rodízio de acordo com o número do CPF do consumidor. 

Desde a primeira decisão, que impôs a quarentena, a Fecomércio já tinha se posicionado contra as medidas mais rígidas. Segundo o que disse a entidade, o comércio não aguenta mais ficar fechado e que, para a manutenção dos serviços, foram adotadas todas as medidas de biossegurança que garantem a redução da propagação do vírus, como uso de máscaras e álcool 70%, distanciamento de 1,5m entre as pessoas, além de outras medidas. 

O novo decreto nº 7.975 estabelece limites no atendimento presencial realizado, exclusivamente, por bancos, lotéricas, supermercados e distribuidoras da bebidas. A medida passa a valer a partir da próxima segunda-feira (06) e segue até o dia 20 de julho. Nas segundas, quartas e sextas-feiras o atendimento presencial pode ser ofertado ao cidadão detentor de CPF com final 0,1,2,3 e 4. Já nas terças, quintas-feiras e sábados a liberação abrange aqueles que possuam no documento os últimos algarismos 5,6,7,8 e 9. 

Além disso, o prefeito também antecipou o toque de recolher, que passará a começar as 20h e e o rodízio de veículos. Acusado de fazer um "decreto de morte", o prefeito Emanuel Pinheiro defendeu as novas regras e disse que são necessárias para combater a Covid-19. 

“Nós fizemos essas medidas mais polêmicas para conter a circulação das pessoas na cidade e segundo, para evitar aglomerações que é um campo fértil de contágio da propagação do coronavírus. É só lembrar, até poucos dias, quem não testemunhou bancos superlotados, com filas longas, com aglomerações terríveis, contatos inadequados. Quem garante que muitos não foram contaminados naquele ambiente?”, disse.

O ato contra o novo decreto, promovido pela CDL Cuiabá e pela Fecomércio-MT, também conta com o apoio da Federação das Associações Comerciais e Empresarais do Estado de MT (FACMAT), Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá (ACC) e Federação das CDLs de Mato Grosso (FCDL). 

(Com Assessoria)

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei