Terça-Feira, 22 de Setembro de 2020, 13h:30

Tamanho do texto A - A+

Como fazer com que gostem de mim?

Por: LUCIANA BERTÉ

Reprodução

Luciana Berté

Estava eu fazendo uma busca para aperfeiçoar meu trabalho nas redes sociais, quando me deparei com uma das perguntas mais feitas ao Google em 2019 no campo de “como fazer”. Sim, esta mesma: Como fazer com que gostem de mim?

Naquele momento viajei em meus pensamentos, recordando de momentos em minha vida em que também me fiz esta pergunta. E confesso a vocês que não foram momentos em que eu estava bem emocionalmente. Sim, naqueles momentos eu buscava “fora”. Achava que precisava aprender um padrão mais aceitável e amável. Pensava que se eu me adequasse a este padrão, teria sucesso, conseguiria com que outras pessoas gostassem mais de mim.

Mas, com o tempo, após muitas lágrimas, decepções e frustrações, pude descobrir onde buscar a resposta para esta pergunta: Olhar para dentro. Sim, me olhar. Buscar em mim uma forma de me amar do jeito que sou. E é claro que ao se olhar verdadeiramente nos deparamos com pensamentos, sentimentos e atitudes muitas vezes não muito agradáveis. Não é mesmo?

Mas comecei a me acolher do jeito que sou, me amar com todos os meus defeitos e qualidades. Dizer “SIM” pra mim. Sem fugas. Aprender a silenciar aquela voz crítica incessante que me dizia o quanto eu era inadequada e imperfeita nas minhas relações. E também olhar para o meu enorme EGO que fazia eu me sentir a “última bolachinha do pacote”, que com arrogância ocupava lugares que achava conveniente em minhas relações (familiares e amorosas). Sim “baixar a bola”, entende?

Pare e imagine aquela pessoa que você não gosta de conversar? Sabe aquela que te incomoda, te deixa desconfortável ou porque não dizer, irritada? O que ela faz pra que você sinta isso?

Análise e veja, geralmente são aquelas que não te ouvem, só falam, sempre estão certas e se irritam quando você dá uma opinião diferente, não é verdade?

Agora pergunto quantas vezes você agiu e ainda age assim em sua vida? Eu, mesmo depois de estar nesta jornada de me conhecer, ainda me pego fazendo isso. Ou seja, pra que gostem de mim, Eu preciso fazer as correções necessárias em mim. E isso não acontece de uma hora para outra, exige prática e tempo. É um exercício de desenvolvimento constante.

Preciso olhar para minhas atitudes, meu jeito de ser, de me expressar. Será que estou sabendo me comunicar de forma gentil? Estou tendo paciência para ouvir o que o outro tem a me dizer? Fico irritada toda vez que sou contrariada? Será que sou exigente demais com o outro? Quero que as pessoas sejam “perfeitas” que ajam exatamente do jeito que Eu idealizo?

Sim, o que mais queremos é sermos ouvidos, bem compreendidos e sermos validados em nossas opiniões. Não é mesmo? Mas, precisamos aceitar que para nos relacionarmos nem sempre é assim. Existe um outro ser cheio de expectativas, opiniões e verdades do outro lado também.

Todo relacionamento é uma via de mão dupla. Muitas vezes, e na maioria delas, tudo o que não gostamos no outro está em nós. Uma das frase de Carl Jung muito significante para mim é a seguinte:“Tudo que nos irrita nos outros pode nos levar a uma compreensão de nós mesmos”. Então, para conhecer o outro precisamos primeiramente nos conhecer.

Precisamos vibrar boas energias para atrair boas energias. Atraímos aquilo que vibramos, que sentimos e que falamos. Agora te pergunto: O que você está vibrando?

Após tomar consciência de quem eu sou e olhar para a realidade, agora posso transformar a minha vibração para facilitar o bem querer dos outros para comigo.

Espero que tenha feito algum sentido pra você e que possamos gostar mais de nós mesmos e fazer as transformações necessárias para sermos mais felizes.

Até breve!!

 
(*) LUCIANA BERTÉ é Facilitadora em Constelação Familiar, Hipnoterapeuta Ericksoniana, Coach e co-fundadora do site Senhora de Si, que reúne experiências do universo feminino.
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto