Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 19h:05

Tamanho do texto A - A+

Empresário teria mandado esposa guardar materiais de manutenção de armas após morte de adolescente

Por: PEDRO COUTO

A reportagem do HiperNotícias teve acesso ao depoimento de um dos profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que estava na ambulância que foi à casa da família Cestari no dia 12 de julho, após Isabele Ramos, de 14 anos, ser atingida por um disparo de arma de fogo.

Gilberto Leite/Estadão MT

Polícia Civil no Alphaville

 

No depoimento o profissional contou que ao chegarem a adolescente já estava morta.

"Que chegando a residência onde ocorreu o fato, o expoente encontrou um tumulto de várias pessoas na frente da casa, e que ao adentrar a casa, procurou observar todo o ambiente", traz o depoimento.

Na sequência, o profissional relatou que observou materiais de manutenção de armas em cima de uma mesa em um cômodo do primeiro andar. A equipe subiu e foi até o banheiro onde estava o corpo de Isabele.

"O médico atestou a morte de Isabele", traz um trecho destacando que "não constatou nenhuma arma, munição, case ou qualquer outro material bélico" no local dos fatos.

Ao voltar ao térreo da mansão a testemunha viu uma mulher guardando os materiais de manutenção de armas que estavam na mesa. Essa mulher vestia uma roupa vermelha e parecia ser mãe a adolescente que teria realizado o disparo acidental. O profissional do Samu a repreendeu e  disse que ela deveria deixar o material por que tratava -se de uma cena de crime.

"Momento em que uma pessoa, provavelmente o senhor Marcelo Cestari, falou em tom alto e nervoso que poderia tirar, pois o fato teria ocorrido no banheiro da parte superior da casa e que ali não tinha nada", contou o profissional.

Seguindo a orientação do marido, a esposa guardou os materiais antes da chegada da Polícia Militar. Quando os miliares entraram na casa, o profissional do Samu avisou sobre a alteração na cena e identificou a mulher que retirou os materiais.

Para a Polícia Civil, o empresário Marcelo Cestari teria analisado a arma que disparou acidentalmente na mesa onde os equipamentos estavam.

Lembre o caso

A adolescente Isabeli Guimarães Ramos, 14 anos, morreu ao ser atingida com um tiro na cabeça, na noite de domingo (12), no Condomínio de luxo Alphaville I, no bairro Jardim Itália, em Cuiabá. A Polícia Militar informou que a jovem estava na companhia de uma amiga, da mesma idade, que manuseava uma arma. Durante o manuseio, o revólver disparou e atingiu a cabeça da adolescente.

LEIA MAIS: Adolescente mata amiga de 14 anos ao tentar manusear arma no Alphaville

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei