Sábado, 29 de Setembro de 2018, 08h:06

Tamanho do texto A - A+

Criminoso roubou carro de Uber antes de tentar explodir muro de CRC, diz delegada

Por: LUIS VINICIUS

Investigações da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) apontam que o acusado Gabriel de Paula Bueno roubou um veículo Chevrolet Ônix, de um motorista de aplicativo Uber, para dar apoio à tentativa de explosão do muro do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), no dia 20 de agosto. A intenção dos criminosos era resgatar 11 detentos da unidade prisional. A informação foi confirmada pela delegada Juliana Chiquito Palhares.

 

Alan Cosme/Hipernotícias

juliana palhares gcco

 A delegada responsável pelas prisões, de Gabriel de Paula Bueno e Radámes Bruno Nicola Barros

Bueno e o comparsa Radamés Bruno Nicola Barros foram presos na manhã de quarta-feira (26), nos bairros Portos e Cidades Alta, ambos em Cuiabá, durante a “Operação Crepitus”. Nas investigações, os policiais descobriram que no dia do crime Gabriel acionou, de sua casa, um motorista do aplicativo Uber para uma corrida até as imediações do presídio para a tentativa de resgaste dos detentos.

 

Durante o trajeto, o acusado sacou um revólver e roubou o veículo da vítima. “O Gabriel é o autor do roubo do veículo Ônix, reconhecido, inclusive, pela vítima. Um pouco antes da ação, ele acionou o motorista do aplicativo e durante o percurso roubou a vítima”, informou a delegada que não detalhou se o motorista foi ferido.

 

Juliana explica que Gabriel e Radámes participaram do planejamento do crime. A intenção, segundo as informações, era de explodir o muro para que pelo menos 11 detentos fugissem da unidade prisional.

 

“A denúncia chegou para nós, da GCCO, no dia 20 de julho e durante as investigações chegamos a Gabriel e Radámes. Eles auxiliaram na arquitetura desse plano de fuga que foi frustrado. Vale lembrar, que o plano foi planejado tanto pelos criminosos de dentro da cadeia e os bandidos que estão em liberdade. Porém, devido aos trabalhos de prevenção das forças de segurança, mais uma fuga de presidiários foi impedida e os criminosos presos”, explicou a delegada ao Hipernotícias.

 

“Prenda-me se for capaz” 

Alan Cosme/HiperNoticias

operação crepitus

 

Na manhã de quarta-feira (26), durante a Operação Crepitus, policiais da GCCO apreenderam uma camiseta com os dizeres “Prenda-me se for capaz”, na casa de Gabriel. Na residência, os policiais encontraram, além do explosivo, duas balas de calibre não identificado e a camiseta da Polícia Civil com os dizeres estampados nas costas.

 

"Se ele queria capacidade das forças de segurança, ele acabou sendo preso. Isso demonstra que polícia está unida com a comunidade, a gente consegue demonstrar o nosso papel de prender os autores de crimes e apresentar, através do inquérito policial, as provas coletadas durante a ação. Que demonstram a participação desses indivíduos nessas ações criminosas", disse a delegada Juliana Palhares. 

 

O nome "Prenda-me se for capaz" é uma referência ao filme ‘Prenda-me Se For Capaz’, no qual o personagem principal (Leonardo Di Caprio) tenta de toda forma escapar da polícia.

 

No filme, o ator interpreta um homem conhecido pelas suas artimanhas contra o sistema bancário e que por diversas vezes consegue driblar a polícia, estando sempre foragido. Porém, no fim da trama, o criminoso é capturado e preso, fato semelhante ao que ocorreu com o suspeito Gabriel.

 

 

Leia também

 

 

GCCO apreende camiseta de bandidos que zomba da polícia: "Prenda-me se for capaz"

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei